terça-feira, 21 de outubro de 2014

COMPASSO BINÁRIO NA FLUÊNCIA FRASAL EM ESPERANTO, A PARTIR DE NASCENTES IMAGINÁRIAS MENTAIS



COMPASSO BINÁRIO NA FLUÊNCIA FRASAL EM ESPERANTO, A PARTIR DE NASCENTES IMAGINÁRIAS MENTAIS

Josenilton kaj Madragoa

Toda frase oral é o relatório de um 'sentimento sentido', de um 'pensamento pensado' ou idealizado ou de uma imagem mental que é retratada em palavras.
No uso de uma segunda língua ainda não naturalizada no consciente e no inconsciente, a frase nasce primeiro na mente, com a 'palavrização' de uma imagem pensamental, sentimental, pictórica ou representativa de ações reais. [Neste último caso, a imagem mental é construída em 5D (com altura, largura e profundidade movimentadas em um tempo e em um espaço, às vezes (se for com requinte de detalhes em tecnicolor) até com direito a pipoca.]
Quanto menor for o período de tempo entre a 'pensamentação' ou 'palavrização" mental de um pensamento (ou objeto existente somente no mundo dos pensamentos), de um sentimento ou de uma imagem mental e a sua projeção holográfica em forma de correspondente frase oral, mais fluente e rápida se torna a emissão do ato de comunicação frasal. Consequentemente, mais fluente e natural se torna também o entrelaçamento das frases que formam, por exemplo, um confronto ou ‘interfronto’ dialógico (conversação, debate, interrogatório etc) ou uma exposição monológica (palestra, aula, preleção, sermão, discurso etc).
Essa fluência interna ou intrassubjetiva, de conseguir pensar, sentir ou imaginar algo e colocá-lo na ponta da língua em forma de palavras, instantaneamente, para por fim elocutá-la em forma de palavras sonoras, só se adquire depois de uma longa prática, naturalmente.

Preliminarmente, principalmente para os mais novos no uso da segunda língua, antes de se falar uma frase, seja perguntando, respondendo, afirmando, negando, contestando, criticando, complementando etc, é necessário, ou pelo menos esperável ou aconselhável, que se construa ou rascunhe a frase primeiro na mente. Mas, antes mesmo de se construir ou rascunhar a frase na mente, é necessária uma matéria-prima, ou seja, é necessário ter o que mentalizar ou imaginar. Nenhuma frase surge do nada. Como se diz em latim, ex nuhilo nihil, ou seja, nada nasce do nada (nem imaginação abstrata psicodélica). Fluir ou fazer fluir linguisticamente quer dizer fluir ou fazer fluir uma frase a partir de uma nascente mental, até a desembocadura da boca (ainda que em certos momentos essa ação intransitiva ou transitiva se opere no automático ou num aparente, pseudo ou semiautomático). E que nascente é essa? É justamente um laivo de pensamento, um sentimento ou uma imagem qualquer nascida na mente.

Muita gente se preocupa muito em falar ou em saber quando é que vai falar na segunda língua sob aprendizado. A questão antes de tudo é aprender a ter o que dizer, a mentalizar imagens dizíveis em palavras, a ter bem delineado na mente o que falar. É ter, portanto, um mote ou motivo na mente, a partir de uma ideia em forma de imagem, de qualidade, de ação que forma uma concepção, um sentimento qualquer, um mínimo pensamento surgido de inopino e que precise ser comunicado, por ser presumivelmente de interesse do ouvinte. Tendo-se antes o que dizer, fica mais fácil dizer.


Chamamos de compasso binário na formulação e pronunciamento de uma frase, a seguinte sequência: literalmente "ver" ou "fotografar" antes, com a câmera mental, o que se vai dizer, e, logo em seguida, materializar, revelar a imagem vista, fotografada, desenhada, delineada ou imaginada, em palavras; enfim, logo em seguida, dizer.
A fluência pode ser didaticamente construída também a partir desse par imagem mental imediatamente antes - pronunciamento ou elocução da frase imediatamente depois.

Reiterando: quais são, pois, os dois passos desse compasso binário frasal?
Primeiro passo: idealizar um pensamento, um sentimento ou uma imagem verbal, onde haja um sujeito praticando uma ação sobre um objeto, ou onde haja um sujeito demonstrando um estado, uma qualidade ou mesmo praticando uma ação intransitiva ou praticando uma ação transitiva sem objeto (ou melhor, sem que o objeto seja personagem importante na ação).
Segundo passo: expor oralmente o resultado frasal da idealização.

****

Também entre dois falantes entre si esse compasso binário pode ser utilizado como recurso paradidático objetivando a fluência linguística de ambos, num processo que podemos chamar de conversa a quatro ou compasso quaternário entre dois falantes. Um imagina e fala uma frase afirmativa, negativa ou interrogativa; o outro imagina a mesma cena do primeiro, ou imagina outra cena, própria, e fala uma frase confirmativa, reativa, complementativa, contestativa ou simplesmente responditiva em relação ao que foi ouvido do primeiro.
A vantagem do segundo é que, se ele entendeu bem a frase do primeiro, automaticamente ele já é instado a construir uma imagem mental a respeito, exatamente igual, ou não, à imagem mentalizada pelo primeiro. Ele pode usar a frase ouvida, que já traz uma imagem prontinha, como mote ou imagem emprestada, para elaborar a sua própria imagem, que é o primeiro passo agora do seu compasso binário. E aí então o processo dialógico bidirecional ou de mão dupla começa a engrenar, um inspirando o outro, como ocorre nos repentes. [Repente é uma modalidade de desafios rimados, em que um repentista desafiador usa a provocação rimada do oponente como parte da imagem, que já vai formando enquanto ouve, para rebater, logo em seguida, com seu respostamento também rimado, formando um bate-rebate em ritmo alegro, presto ou vivace.] A diferença básica é que no diálogo, especialmente no diálogo de compasso quaternário ora proposto, o ouvinte de uma frase pode ouvi-la toda, tranquilamente, depois silenciar um pouco, enquanto constrói a sua imagem, ainda que tomando como mote a frase anteriormente ouvida. A partir de então, com calma e maior segurança, pode oferecer a sua frase reativa, em forma de complemento, comentário, crítica, pergunta, resposta etc... Forma-se, assim, uma conversação tranquila, suave e equilibrada, em ritmo moderato, andante ou alegro non molto, com direito a intervalos, gestos, expressões faciais e intonações complementares aos sentidos. As frases, nesse concerto de sopros (de palavras), tendem a nascer com muito mais facilidade, harmonia e precisão, quase naturalmente, sem precisar muito de conserto.

Quando se pausa para imaginar, e se imagina algo de fato, a concernente frase se constrói quase por si mesma e flui para a ponta da língua com seus próprios pés e sai voando com suas próprias asas na direção dos ouvidos à sua frente. Toda a construção e exposição frasal, que inicialmente é um procedo (em Esperanto, uma sequência de atos humanos e racionalizados), torna-se, com o tempo de prática desse par (imaginação-pronunciamento), um procezo (em Esperanto, uma sequência automática ou autônoma de atos da natureza, in casu, da natureza humana, ainda que provocada, de começo, pelo homem em sua razão). É quando o intervalo necessário à construção das imagens pré-frasais vai se tornando cada vez menor, até nem ser mais necessário. É quando parece que as frases têm vida própria e que nascem do nada. Na verdade, elas nascem então de racionalizações-relâmpagos e também de impulsos dos três níveis conscienciais (consciente, subconsciente e inconsciente) e de reações reflexas da mente cerebral e da mente espiritual. Quando essa turma toda se torna bilingue, não tem pra ninguém.
Ademais, o produto de qualquer pensamento se materializa sempre em palavras, ainda que só no ambiente mental. Tem-se daí, decorrentemente, que mesmo os impulsos de pensamento, como frutos de impulsos de sentimentos, de emoções ou de outras interjeições, sempre vão eclodir em forma de palavras. E estas se materializam em princípio no idioma materno, mas podem também se materializar no segundo idioma posteriormente assimilado pela prática oral. Portanto, quanto mais se falar na segunda língua, tanto mais se aproximará do momento em que se estará pensando, também, nela, automaticamente, mesmo em expressões interjectivas.

Deflui-se do que até agora foi dito que, quem ainda não detém um vocabulário amplo e um domínio razoável dos elementos gramaticais e das regras de expressão da segunda língua, deve, logo após a imaginação do que quer falar, construir ou rascunhar mentalmente a frase, com os recursos gramaticais e lexicais de que dispõe, para só então expor a frase-retrato para a vida real, de forma oral. Para quem tem ainda pouco domínio linguístico, ou ainda não internalizou nem intuitivizou a gramática fundamental, é necessário, pois, um compasso ternário intrassubjetivo ou intramental, composto de imaginação, composição racional e calculada da concernente frase na mente e, finalmente, a elocução oral da frase. Até chegar o procezo da construção imaginária e elocução frasal automática, ele precisará intervir mais com o procedo. Precisará engenhar racionalmente a ternarização do compasso, com a elaboração da concernente frase na mente, entre a imaginação e a elocução. [A sua vantagem é que o Esperanto é uma língua riquíssima de possibilidades construcionais na elaboração de frases e também de palavras, mesmo para aqueles que ainda não tenham amplo vocabulário e domínio gramatical e expressional. Basta que se tenha uma certa malandragem para se construir perífrases lexicais ou frasais, a partir do estoque cognitivo já disponível no cocuruto. Em Esperanto toda palavra, se ela mesma não for formada a partir de elementos identificadores de sua substância, pode ser substituída por sinônimos perifrásticos. Por exemplo, se alguém está num diálogo e precisa expressar a ideia sobre uma obra de arte ou de literatura, que em Esperanto é monoliticamente representada pela palavra verko, ele pode arranjar e soltar uma palavra ou expressão multimorfêmica equivalente, do tipo arta aŭ mensa kreaĵo / produkto / produktaĵo / skribaĵo / afero / objekto / aĵo. Se ele já tiver mais jogo de cintura, poderá também se valer de perífrases frasais, substituindo a ideia imaginada por uma frase do tipo "afero, kiun oni arte aŭ mense kreas / ellaboras / skribas / faras...". A sorte também é que em Esperanto milhares de palavras são compostas ou multiradicais e já definem em si mesmas os objetos que representam. Isso para não falar da sua luxuosa e rica aglutinabilidade morfêmica à base de afixos e de terminações gramaticais.]

O COMPASSO BINÁRIO EM SALA DE AULA

Se um dos dialogadores for um didata em serviço, ele pode pré-elaborar e trabalhar com perguntas ricas de possibilidades imaginárias e ricas de situações. Entretanto, tais perguntas devem se encadear de forma gradativa, para não sobrecarregar a mente do ouvinte, com excesso de tintas ou luzes imaginativas, que podem, num primeiro momento, aturdir, confundir ou colapsar a sequência dos atos de aprendizado do aluno. O processo de apreensão cognitiva tem necessidades de justaposições sequenciadas, para dar tempo ao cérebro de encaixotá-las e organizá-las adequadamente nos vários córtices e áreas neuronais. Uma língua é um mundo. Se chegar de vez ou de forma desordenada, pode provocar desastres neurocorticais e neuropsíquicos de difícil reconstrução. Portanto, a sequência de perguntas deve partir do simples para o complexo, numa gradação didaticamente elaborada. Deve-se aproveitar essa fase inicial para, também, prestigiar com mais ênfase e até mais demoradamente, os elementos gramaticais mais corriqueiros e os sentimentos e ações humanas que são verbalizadas com mais frequência.

Numa primeira fase de questionarização didática, quanto mais clara e bem articulada for cada pergunta, ou seja, quanto mais precisamente ela reproduzir a ideia concebida na mente do perguntador-didata e ao mesmo tempo permitir a mesma reprodução na mente do respondedor-aluno, tanto mais precisa e coerente tende a ser a resposta deste.

No processo de monitoria instrutorial, inicialmente é de bom tom até ser formulada uma mesma pergunta de duas formas, ou seja, duas perguntas sobre a mesma ideia, uma após a outra, uma como que explicando a outra. Em outras palavras (ou em outra imagem sobre o mesmo conceito): imagens mentais podem ser mais bem transmitidas de uma mente para outra, por telesinapses interneurais, se forem feitos, no ato da emissão oral, dois quadros-perguntas com o mesmo conteúdo ou ideia. Eis um exemplo: 1.a.) Aonde você foi ontem antes do meio dia? (Kien vi iris hieraŭ antaŭ la tagmezo?) 1.b.) A que lugar você foi ontem pela manhã? (Al kiu loko vi iris hieraŭ matene?) O entendimento da primeira pergunta pode ser completado com a audição da segunda pergunta. São duas frases interrogativas monossemânticas, uma de uma forma, outra, de outra. Outro exemplo: alguém constrói mentalmente uma cena de si escovando os dentes com uma escova elétrica. Ao revelar e publicar essa cena, em forma de frase, no processo comunicacional oral, dentro de um diálogo, ele pode dizer duas frases-maneiras de mesmo sentido, para reforço de entendimento da parte ouvinte: 1.a) Neste dia, cedo, um odontopurificador de cerdas de movimentos automáticos purificou meus dentes. (En ĉi tiu tago, frue, memmova dentopurigilo purigis miajn dentojn). 1.b) Hoje, de manhãzinha, eu escovei meus dentes com uma escova elétrica. (Hodiaŭ frue en la mateno mi brosis miajn dentojn per elektra dentobroso). O receptor da mensagem tem mais chances de rerretratar ou reconstruir em sua mente a mesma cena e, assim, entender melhor o que foi que houve de verdade na manhã do dia do sujeito emissor.

Alternativamente, no início de um eventual curso básico, para estimular a formação de imagens mentais por parte do aluno ou novo falante antes da formulação de suas respostas binarizadas, o instrutor pode encarreirar uma bateria de perguntas adrede formuladas de modo que nelas já estejam embutidas as respostas ou elementos significativos delas. Mais claramente, as próprias perguntas encadeadas já sirvam de mote para a imaginação das cenas e consequente oralização das respostas. Eis três exemplos:

1.      P.: Kie (aŭ sur kio, aŭ en kio) vi sidas? (apontando o lugar ou o espaço com a mão) R.: Mi sidas sur seĝo (ou sur o, mostrando neste caso a cadeira); ou Mi sidas en ĉambro (ou Mi sidas en o (mostrando a sala)).
2.      P.: Kio estas hundo? (mostrando um cachorro ou uma imagem deste) Ĉu homo, (mostrando um mostruário de seres humanos), aŭ besto (mostrando um mostruário de animais)? R.: Hundo ne estas homo, sed ĝi estas besto, ou simplesmente Hundo estas besto (precisando mostrar, ou não, o mostruário dos animais).
3.      P.: Kia estas la temperaturo (ou kia estas la vetero)? (Se estiver quente, o instrutor pode fazer gesto de calor). R.: La temperaturo estas alta / La vetero estas varma. Ou, como nas primeiras respostas, podem ser aceitas respostas apenas do tipo La temperaturo estas a ou La vetero estas a, em ambas as respostas, com a mão abanando. [Mostra-se, assim, que já se domina um pouco o gramatiquês, pelo menos quanto à terminação “–a”, da qualidade.]


Quer dizer, ainda com o curso em curso, o novel falante já pode ir exercitando o compasso binário, com a técnica das respostas dentro ou parcialmente dentro das perguntas, que estimula imaginações prévias concomitantes com a escuta da pergunta, oferecendo matéria prima pré-fabricada para a construção das respostas. Já é um precursor para as experiências pós-cursos ou pós-aulas, quando se usar o compasso binário em rodas de conversação ou nos diálogos concretos lá fora, no mundo asfáltico, onde normalmente o sistema é bruto. Nos corre-corres, corrimões e corredores da vida social não se costuma ter nem dar tempo para elaborações e elucubrações mentais muito pensadas. O trânsito de fazeres e afazeres é intenso. Lá fora, o compasso binário, ou ele já se produz automaticamente, em concomitância de passos, ou ele será esmagado pelo roldão das emoções apressadas (que devem ter exterminado compressivamente aquela tribo de índios estadunidenses de poucas falas). Por isso, quanto mais se treinar e se internalizar o compasso binário em laboratórios fluenciais (solilóquios, interlóquios e rodas de bate-papo dirigidas), a frio, tanto melhor para quando se estiver nas situações reais, a quente.

Com o avanço no aprendizado, o iniciante pode se estimular ou ser estimulado a responder também de duas ou mais maneiras. É quando se parte da premissa maior de que tudo pode ser dito ou fraseado, no mínimo, de duas maneiras, com variações sintáticas, morfológicas, lexicais ou de estilo. É um excelente contributo para a fluência, porque ajuda na construção de perífrases frasais, expressionais ou lexicais. Quem domina essa arte, não fica sem ter como falar.

****

No final de tudo, espera-se que o exercício do compasso binário contribua não apenas para a fluência linguística, mas, também, para a elocução de frases mais bem elaboradas e consequentemente mais espelhadoras de realidades mentais. Estas, assim, passarão elas próprias a serem mais bem imaginadas, vivificando e enriquecendo tanto a oralidade da língua Esperanto quanto o próprio mundo das ideias e da comunicação inter-humana. Decide melhor o que dizer e, consequentemente, diz melhor, quem pensa melhor, quem tem mais tempo para montar seus arrazoados mentalmente, a fazer suas imagens mentais prévias, antes de elocutar cada frase. Rascunhando-se o que dizer no laboratório da mente, dizem-se as coisas com mais precisão, perfeição e beleza. Com o tempo vai-se melhorando em tudo, inclusive nas imagens profundas do inconsciente, que também mandam matérias primas para a esfera do consciente. E este, com o processo de binarização ou de ternarização, tende a melhorar o que vem lá de dentro, do subsolo mental, do profundo. O próprio inconsciente passa a melhorar também as suas imagens, de forma automática, e passa a receber melhorias lá de cima, do consciente, de forma reflexa.
Quem ganha com tudo isso? Ganha o Esperanto, que passa a ser mais vivo (considerando que língua viva é antes de tudo língua oral ou oralizada) e que passa a ser linguisticamente mais belo e mais preciso. Ganha cada falante esperantista, que passa a engatinhar com mais coragem e controle e a caminhar a passos mais seguros, a partir de um processo de fluência mental organizada, sendo também instado a exercer ou a exercitar valores racionais, raciocinais, emocionais, imaginários e cognitivos conjuntamente, com mais apuro, leveza e refinamento. Enfim, latu senso, ganha toda a sociedade.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

EL LA RAPIDA VORTARO PORTUGALA-ESPERANTO - AKTUALIGO EL SEPTEMBRO 2014



REFERÊNCIAS: ESPERANTO PORTUGUÊS PORTUGALA DICIONÁRIO VORTARO GLOSSÁRIO GLOSARO TERMINARO TRADUZIR TRADUÇÃO




A MILHA FRANCESA VALE QUATRO QUILÔMETROS =LA FRANCA MEJLO VALORAS 4 KILOMETROJN
ABRIR UM BURACO = FARI/FOSI KAVON; FARI/BORI TRUON
ABRIR UMA CRATERA = FARI KRATERON
AGROTÓXICO = PESTICIDO
ALIMENTAÇÃO ORGÂNICA = EKOLOGIA/SENPESTICIDA NUTRADO
AMESBURY (CIDADE NO CONDADO DE WILTSHIRE, INGLATERRA, 13 KM AO NORTE DE SALISBURY E PRÓXIMA DE STONEHENGE) = AMESBURIO
ANSIOLÍTICO  (DROGA, SINTÉTICA OU NÃO, USADA PARA DIMINUIR A ANSIEDADE E A TENSÃO) = KONTRAŬANKSIILO; KONTRAŬTIMAĴO
AR PREOCUPADO = ĈAGRENITA/AFLIKTITA MIENO
ARTE MAHIKARI (MOVIMENTO RELIGIOSO JAPONÊS, ONDE SEUS MEMBROS ACREDITAM SER ESTE UMA ARTE ESPIRITUALISTA QUE TEM POR OBJETIVO A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL DE TODA A HUMANIDADE) = MAHIKARO
ASSISTENTE SOCIAL = SOCIA/SOCIALA ASISTISTO/ASISTISTO/PRIZORGISTO;
ATÉ ALGUNS MINUTOS ATRÁS = ĜIS ANTAŬ KELKAJ MINUTOJ; ĜIS KELKAJ MINUTOJ ANTAŬE
ATÉ DOIS ANOS ATRÁS = ĜIS ANTAŬ DU JAROJ; ĜIS DU JAROJ ANTAŬE
ATÉ ONDE SABEMOS = LAŬ TIO, KION NI SCIAS; KIOM NI POVAS SUPOZI
BARRA DE OURO = OR-INGOTO; INGOTO EL ORO
CAIXA DE PANDORA = SKATOLO DE PANDORA
CAMPANHA ELEITORAL = BALOTKAMPANJO; ELEKTOKAMPANJO
CANTUÁRIA (OU CANTERBURY: CIDADE DO SUDESTE DA INGLATERRA PERTENCENTE AO CONDADO DE KEN) = KANTERBURIO
CAPACIDADE DE = KAPABLO POR –O; KAPABLO -I
COMO MEDIDA DE = KIEL RIMEDO DE; KIEL
CONSUMÊ (FORMA APORTUGUESADA DA PALAVRA FRANCESA "CONSOMMÉ", PARA DESIGNAR UM TIPO DE CREME, GERALMENTE PREPARADO COM CARNE, LEGUMES, BATATAS, COZIDOS E LIQUIDIFICADOS, A SER CONSUMIDO QUENTE EM PRATOS DE SOPA OU EM CANECAS) = BOVBROGAĴO; KONSUMEO
DATA-LIMITE = LIMDATO
DE DEDO EM RISTE = KUN FIKSE LEVITA MONTRA FINGRO
DE TRINTA A QUARENTA METROS DE DIÂMETRO = DE TRIDEK ĜIS KVARDEK METROJ EN LA DIAMETRO
DE TRINTA METROS DE DIÂMETRO = DE TRIDEK METROJ EN LA DIAMETRO
DESCOBERTA = 1 ELPENSAĴO. 2 ELTROVO, ELTROVAĴO, ELTROVITAĴO; MALKAŜAĴO
DESFIBRILAÇÃO (APLICAÇÃO DE UMA CORRENTE ELÉTRICA EM UM PACIENTE, ATRAVÉS DE UM DESFIBRILADOR, UM EQUIPAMENTO ELETRÔNICO CUJA FUNÇÃO É REVERTER UM QUADRO DE FIBRILAÇÃO AURICULAR OU VENTRICULAR) = DEFIBRILADO
DESFIBRILADOR = DEFIBRILILO
DIAS SEGUIDOS = TAGOJN POST TAGOJ
DOENÇA OCUPACIONAL (DESIGNAÇÃO DE VÁRIAS DOENÇAS QUE CAUSAM ALTERAÇÕES NA SAÚDE DO TRABALHADOR, PROVOCADAS POR FATORES RELACIONADOS COM O AMBIENTE DE TRABALHO) = PROLABORA MALSANO
ECO-FRIENDLY (REFERENTE A MERCADORIAS OU SERVIÇOS, LEIS, LINHAS MESTRAS OU POLÍTICAS ELABORADAS PARA NÃO PREJUDICAR OU SÓ PREJUDICAR O MÍNIMO POSSÍVEL O MEIO AMBIENTE) = MEDIFAVORA, EKOLOGIEMA, EKO-EMA, NATUREMA AŬ VERDA
ENCANADO = TUBIGITA; TRATUBA; KANALIZITA; KANALIGITA
ENCANAR = TUBIGI; TRATUBIGI; KANALIZI; KANALIGI
ENTREVISTA COLETIVA (OU COLETIVA DE IMPRENSA) = GAZETARA KONFERENCO; KOLEKTIVA INTERVJUO
ESCATOLOGIA = ESKATOLOGIA
ESGOTAMENTO SANITÁRIO = KANALIZACIO
FARMACÊUTICA (FÁBRICA DE REMÉDIOS) = FARMACIA FABRIKO
FAZ ALGUNS DIAS QUE (OU ‘HÁ ALGUNS DIAS’) = ANTAŬ KELKAJ TAGOJ; DE KELKAJ TAGOJ...
FAZ MUITOS DIAS QUE (OU ‘HÁ MUITOS DIAS’) = ANTAŬ MULTAJ TAGOJ; DE MULTAJ TAGOJ...
FAZ POUCOS DIAS QUE (OU ‘HÁ POUCOS DIAS’) = ANTAŬ MALMULTAJ TAGOJ; DE MALMULTAJ TAGOJ...
FIGURAR COMO = ŜAJNIGI, KE; EFIKI KIEL
FOLKESTONE (CIDADE COSTEIRA (COM UM IMPORTANTE PORTO) LOCALIZADA NO DISTRITO SHEPWAY DE KENT, INGLATERRA) = FOLKESTONO
GRAU DE PARENTESCO = PARENCA GRADO; [PRIMO DE TERCEIRO GRAU * KUZO JE LA TRIA GRADO]
HÁ ANOS (NO SENTIDO DE HÁ MUITOS ANOS) = (JAM) DE MULTAJ JAROJ
HOLÍSTICO = HOLISMA
INEFICÁCIA = SENEFIKECO; SENUTILECO
JET LAG (DESCOMPENSAÇÃO HORÁRIA, OU, EM MEDICINA, DISSINCRONOSE: TIPO DE FADIGA DE VIAGEM POR ALTERAÇÃO NO CICLO CIRCADIANO, APÓS LONGA VIAGEM AÉREA PARA LOCAL COM FUSO HORÁRIO BASTANTE DIFERENTE) = HORZONOZO; HORZONSUFERO
KENT (CONDADO SITUADO NO SUDESTE DA INGLATERRA, PRÓXIMO DE LONDRES, COM CAPITAL EM MAIDSTONE) = KENTO
LIXO ORGÂNICO = PLANT-RUBAĴO; VEGETAL-RUBAĴO; ENKORPA RUBAĴO/TOKSAĴO
MEFÍTICO = HALADZA; PESTIGA
MEGALÍTICO = MEGALITA
MESES SEGUIDOS = MONATOJN POST MONATOJ
NOITES SEGUIDAS = NOKTOJN POST NOKTOJ
O VALOR DE UM PÃO CACETINHO NA VENDA DE SEU JAIME É R$ 0,30 = LA VALORO DE UNU (BASTONETFORMA) (SAL)-BULKO EN LA VENDEJO DE S-RO JAIME ESTAS R$ 0,30
PÃO CACETINHO (OU PÃO FRANCÊS) = (BASTONETFORMA) (SAL)-BULKO
PARRÉSIA (NA RETÓRICA, FRANQUEZA, CONFIANÇA OU OUSADIA PARA FALAR EM PÚBLICO) = AŬDACA PAROLO
PARÚSIA (TERMO USUALMENTE EMPREGADO COM A SIGNIFICAÇÃO RELIGIOSA DA SEGUNDA VINDA DE CRISTO OU SEGUNDO ADVENTO OU “VOLTA GLORIOSA DE JESUS CRISTO, NO FIM DOS TEMPOS, PARA PRESIDIR O JUÍZO FINAL", CONFORME CREEM AS VÁRIAS RELIGIÕES CRISTÃS E MUÇULMANAS, INCLUSIVE SINCRÉTICAS E ESOTÉRICAS) = KRIST-REALVENO
PESQUISADOR  (COLETADOR DE OPINIÕES) =  OPINIKONTROLISTO; (CIENTISTA) ESPLORISTO
POR UMA QUESTÃO DE = PRO
PSICOFOBIA (PRECONCEITO CONTRA OS PORTADORES DE TRANSTORNOS E DEFICIÊNCIA MENTAIS) = KONTRAŬMENSMALSANULA ANTAŬJUĜO; MENSISMO; MENSHANDIKAPOFOBIO; PSIKOFOBIO
RAÇA HUMANA = HOMA RASO
RESSECAR = (RE)SEKIGI; (RE)SEKIĜI
SALISBÚRIA (OU SALISBURY: CIDADE NO CONDADO INGLÊS DE WILTSHIRE) = SALISBURIO
SECRETARIAR = SEKRETARII
SEMANAS SEGUIDAS = SEMAJNOJN POST SEMAJNOJ
SEPARADOS POR MILHARES DE QUILÔMETROS = MILOJN DA KILOMETROJN MALPROKSIMAJ; DISIGITAJ/APARTIGITAJ PER MILOJ DA KILOMETROJ
SEPARADOS POR UM LONGO TEMPO = DISIGITAJ/APARIGITAJ PER LONGA TEMPO; LONGAN TEMPON DISIGITAJ/APARIGITAJ
SHEPWAY (DISTRITO DO CONDADO DE KENT, INGLATERRA) = ŜIPVOJO
STONEHENGE (ALINHAMENTO MEGALÍTICO DA IDADE DO BRONZE, LOCALIZADO NA PLANÍCIE DE SALISBURY, PRÓXIMO A AMESBURY, NO CONDADO DE WILTSHIRE, NO SUL DA INGLATERRA) = ŜTONAKSO
TATARAVÔ (OU TRISAVÔ) = PRAPRAAVO
TENSÃO = STREĈO; NERVA STREĈITECO
TER POTENCIAL PARA = HAVI POTENCIALON POR
TOMAR DECISÃO = PRENI/DONI/FARI DECIDON; DECIDI
TRISNETO (OU TATARANETO, OU TRINETO) = PRAPRANEPO
TROLLAR (SISTEMATICAMENTE DESESTABILIZAR UMA DISCUSSÃO, PROVOCANDO POLÊMICAS) = RETĜENI; DIALOG-PERTURBI; RETDISPUTIGI; PROVOKI
VISÃO DE MUNDO  =  MONDVIDO; MONDKONCEPTO; MONDRIGARDO
VISÃO PERIFÉRICA = PERIFERIA VIZIO
VITALICIEDADE = DUMVIVECO
WILTSHIRE (UM DOS CONDADOS CERIMONIAIS DA INGLATERRA, SITUADO NA PARTE SUDOESTE DA ILHA) = UILTŜIRO
WOLBACHIA (GÊNERO DE BACTÉRIAS QUE INFECTAM ARTRÓPODES, INCLUINDO UMA ALTA TAXA DE INSETOS) = VOLBAKIO
ZONA FRANCA = SENIMPOSTEJO; SENIMPOSTA MERKATO

ESPERANTO PER BILDOJ / ESPERANTO POR IMAGENS (OKTOBRO 2014)

 BILDO 39
(KOMPARO INTER LA SUFIKSO "-UL-" (UZATA POR HOMO, KIU ESTAS -A)
KAJ LA SUFIKSO "-ANT-" (UZATA POR HOMO, KIU "-AS"))



BILDO 38
(HOMAJ POZICIOJ KAJ DEMANDOJ PER "ĈU")


ALGUMAS NOVIDADES TRADUZIDAS EM OUTUBRO DE 2014 / KELKAJ NOVAĴEROJ TRADUKITAJ EN OKTOBRO 2014



ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS ELEGE FERREIRA GULLAR PARA CADEIRA QUE ERA DE IVAN JUNQUEIRA // LA BRAZILA BELETRISTIKA AKADEMIO ELEKTIS FERREIRA GULLAR POR OKUPI LA SEĜON, KIU APARTENIS AL IVAN JUNQUEIRA

10-10-2014

Nesta quinta-feira (9/10), a Academia Brasileira de Letras (ABL) anunciou o mais novo ocupante da Cadeira 37, vaga desde a morte do poeta Ivan Junqueira em julho deste ano. Ferreira Gullar, de 84 anos, conquistou 36 dos 37 votos possíveis e é o novo "imortal" da literatura brasileira.

Antes de Junqueira, a cadeira, que tem como patrono o poeta Tomás Antônio Gonzaga, teve como ocupantes Silva Ramos (fundador), Alcântara Machado, Getúlio Vargas, Assis Chateaubriand e João Cabral de Melo Neto. Votaram 19 acadêmicos presencialmente e 18 por cartas. Apenas um dos votos foi em branco.

Ferreira Gullar nasceu em São Luís (MA) e é autor de obras como "A Luta Corporal" (1954), "Cabra Marcado para Morrer" (1962), "Poema Sujo" (1976), "Na Vertigem do Dia" (1980) e "Crime na Flora ou Ordem e Progresso" (1986). Sua publicação mais recente, "Em Alguma Parte Alguma" (2010), venceu o Prêmio Jabuti de livro do ano de ficção.

Segundo o UOL, a ABL decide ainda este mês os ocupantes das cadeiras que pertenceram a João Ubaldo Ribeiro (disputada pelo historiador Evaldo Mello) e Ariano Suassuna (buscada por Zuenir Ventura e Thiago de Mello).
En tiu ĉi lasta ĵaŭdo (9-a/okt), la Brazila Beletristika Akademio (BBA) anoncis pri la plej ĵusa okupanto de la Seĝo 37, vakinta pro la morto de la poeto Ivan Junqueira, en julio de ĉi tiu jaro. Ferreira Gullar, 84-jara, konkeris 36 el la 37 eblaj voĉdonoj. De nun li estas la plej nova “senmortulo” de la brazila literaturo.

Antaŭ ol Junqueira, la seĝo, kies patrono estas la poeto Tomás Antônio Gonzaga, havis kiel okupantojn Silva Ramos (ĝia fondinto), Alcântara Machado, Getúlio Vargas, Assis Chateaubriand kaj João Cabral de Melo Neto. Voĉdonis ĉeeste 19 kaj perletere 18 akademianoj. Nur unu el la voĉdonoj estis por neniu.

Ferreira Gullar naskiĝis en la maranjana ĉefurbo San-Luiso. Li estas la aŭtoro de verkoj tiaj, kiaj "A Luta Corporal" (1954), "Cabra Marcado para Morrer" (1962), "Poema Sujo" (1976), "Na Vertigem do Dia" (1980) kaj "Crime na Flora ou Ordem e Progresso" (1986). Lia plej freŝa publikaĵo - "Em Alguma Parte Alguma" (2010), venkis la Premion Jabuti, kiel la libro de la jaro, pri fikcio.

Laŭ UOL, la BBA decidos ankoraŭ ĉi-monate pri la okupontoj de la seĝoj, kiuj apartenis al João Ubaldo Ribeiro (pribatalata de la historiisto Evaldo Mello) kaj Ariano Suassuna (konkurata de Zuenir Ventura kaj Thiago de Mello).
FONTO:


http://www.portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/68626/academia+brasileira+de+letras+elege+ferreira+gullar+para+cadeira+que+era+de+ivan+junqueira

           *********************************************************

NOVO FORMATO DE NEURÔNIO É DESCOBERTO // NOVA SPECO DE NEŬRONO ESTAS ELTROVITA

02-10-2014

No neurônio comum, os dendritos, as estruturas que lembram raízes, recebem os estímulos elétricos de outros neurônios. Uma vez processados, eles são retransmitidos pelo áxion, uma extensão da célula. Mas cientistas encontraram um neurônio diferente - nele, o áxion surge diretamente de um dos dendritos. Essa estrutura até então não registrada foi chamada de 'célula pirâmide'.
A descoberta, relatada no periódico estadunidense Neuron, mostra que isso faz com que os sinais elétricos dessas células sejam transmitidos por um atalho. "Os estímulos não precisam ser propagados pelo corpo da célula", afirma o cientista responsável pelo estudo, Christian Thome, da Universidade de Heidelberg.
Essas células foram encontradas no hipocampo, uma região cerebral envolvida na memória. Mais da metade das células de lá teriam o áxion emergindo de um dendrito.
Testes com impulsos artificiais mostraram que, quando eles são enviados por um dendrito ligado a um áxion, a resposta total do neurônio é mais forte.
Agora cientistas querem entender de que forma esse neurônio diferencial afeta as nossas funções biológicas.

Ĉe la ordinaraj neŭronoj, la strukturoj, kiuj ŝajnas radikoj, ricevas la elektrajn stimulojn de aliaj neŭronoj. Post kiam ili estas procezigitaj, ili estas retransmisiitaj tra la aksiono, etendaĵo de la ĉelo. Tamen sciencistoj eltrovis malsaman neŭronon, en kiu la aksiono aperas rekte el unu el dendritoj. Tiu strukturo, ĝis nun ne registrita, estis nomita “piramida ĉelo”.

La eltrovaĵo, raportita en le usona semajna gazeto Neuron, montras, ke tio igas, ke la elektraj signaloj de tiaj ĉeloj estu transmisiataj tra mallongigita vojo. “La stimuloj ne bezonas esti disigitaj tra la korpo de la ĉelo”, asertas la sciencisto respondeca pri la studaĵo, Christian Thome, el la Universitado de Hejdelbergo (Germanujo).
Tiuj ĉeloj estis trovitaj en la hipokampo, cerba regiono rilata al la memoro. Pli ol la duono de ĝiaj ĉeloj havas la axionon eliĝantan el unu dendrito.

Testoj per artefaritaj impulsoj montris, ke, kiam ili estas sendataj tra dendrito ligita al aksiono, tiam la tuta respond-reago de la neŭrono estas pli forta.
Nun sciencistoj volas kompreni, kiel tia diferenca neŭrono afekcias niajn biologiajn funkciojn.

FONTO:
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2014/09/novo-formato-de-neuronio-e-descoberto.html

                              **************************************************


COMO NO HARRY POTTER, CIENTISTAS AMERICANOS CRIAM 'CAPA DE INVISIBILIDADE' // KIEL EN LA SERIO HARRY POTTER, USONAJ SCIENCISTOJ ELKREIS “NEVIDEBLIGAN MANTELON”

 

01-10-2014




Cientistas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, criaram um dispositivo com efeito semelhante ao da “capa da invisibilidade”, que aparece nos filmes da série Harry Potter. Usando um conjunto de lentes relativamente barato, eles conseguiram fazer um objeto desaparecer da visão de quem olha através das lentes, enquanto tudo ao seu redor continua intacto.
“Até onde sabemos, este é o primeiro dispositivo que permite uma ocultação tridimensional e multidirecional”, afirma Joseph Choi, estudante da universidade, que realizou o estudo em parceria com o professor John Howell, do departamento de física.
Isso significa que, de qualquer ângulo que se olha pela lente, o efeito se mantém.
Os pesquisadores fizeram testes com uma régua, uma mão e um rosto, e tudo desaparecia por trás da lente, enquanto o que havia atrás continuava visível, sem distorções.
Para os pesquisadores, essa técnica pode ter várias aplicações, "como evitar pontos cegos em veículos grandes, além de ser usado em cirurgias, na área militar, no design de interiores e na arte”, afirma Choi.

Sciencistoj el la Universitato Roĉestero, en Usono, elfaris aranĝaĵon, kiu efikas simile kiel tiu “nevidebliga mantelo” el la filmoj de la serio Harry Potter. Utiliginte aron da lensoj relative malmultekostaj, ili sukcesis, ke objekto malaperu de antaŭ la vidado de tiu, kiu rigardas tra la lensoj, dum ĉio ĉirkaŭ ili daŭras videbla.
“Laŭ tio, kion ni scias, ĝi estas la unua aparato, kiu ebligas multflankan nevidebligon de tridimensiaĵo”, diris Joseph Choi, studento de la universitato, kiu realigis tiun studelpensaĵon  en partnereco kun profesoro John Howell, el la departemento pri Fiziko.
Tio signifas, ke ĉe ĉiu ajn angulo, el kiu oni rigardas tra la lenso, la efiko estas la sama.
La esploristoj faris testojn per unu liniilo, unu mano kaj unu vizaĝo, kaj ĉio malaperis malantaŭ la lenso, dum ĉio, kio estis malantaŭ la malaperintaĵoj daŭris videbla, sen distordo.
Laŭ la esploristoj, tiu tekniko povos doni multajn utilojn, “ekzemple kiel oni malestigu la blindan punkton ĉe grandaj veturiloj, krom tio, ke ĝi povos esti utiligata dum ĥirurgioj, en la armea sektoro, en la fasonado de dominternoj kaj en la arto”, asertis Choi.
FONTO: